“O Sapo, o Escorpião e a nossa natureza…”

Começo assim “Está na nossa natureza”. Conhecem a história do Sapo e do Escorpião? Eu conto, de forma sucinta: “ – Era uma vez um Escorpião, que vivia nas margens de um rio, um dia, depois de uma grande chuvada, a água do rio começou a subir de forma ameaçadora para o Escorpião, este, ao ver que a água não parava de subir e seguramente iria chegar à sua toca, o que o faria morrer afogado, começou a chamar um Sapo que descansava numa pedra e pediu-lhe para o transportar nas suas costas até  à outra margem. O Sapo, disse-lhe que não, porque sabia que o Escorpião lhe picaria e lhe provocaria a morte. Mas o Escorpião, com toda a sua capacidade de argumentação, lá convenceu o sapo a transportá-lo e assim aconteceu. Quando iam no meio do rio, o Escorpião, picou mesmo o Sapo, envenenando-o. O sapo, antes de morrer ainda teve tempo de perguntar ao Escorpião: “ – Porque me picaste? Agora morreremos os dois!”. O Escorpião, respondeu ao Sapo, dizendo-lhe apenas: “ – Está na minha natureza”. Esta, infelizmente, é uma realidade tantas vezes encontrada, temos tudo, absolutamente tudo ao nosso alcance, para tornar as nossas vidas num grande acontecimento, mas, está na nossa natureza, criar problemas aos outros, mesmo àqueles que confiam em nós. Quantas vezes sabemos, tal como o Escorpião, que tratando mal os outros e dificultando-lhes a vida, estamos por consequência a estragar a nossa própria vida. Quando é que compreendemos, que, a infelicidade dos outros e as suas dificuldades e problemas, em nada concorrem para a nossa felicidade. Quanto mais feliz for cada homem por si só, mais felizes seremos todos no conjunto. Quanto mais tiver o meu irmão, mais possibilidades tenho, de  ter também. Mas não, a fronteira entre o bem e o mal, na grande maioria das vezes, resume-se, a termos a coragem de pedir boleia, sem ludibriar o condutor. Está de facto na nossa natureza, não aceitar bem as vitorias e sucessos dos outros. Está na nossa natureza, colher os frutos das arvores que muitas vezes não plantámos e ás vezes, apropriamo-nos, da grandeza e beleza desses mesmos frutos, quando eles ainda assim, resistiram ao ácido que deitamos nas suas raízes. Está na nossa natureza, querer derrubar quem vai, “em cima do burro”, para lá nos colocarmos, e depois, quando nos apanhamos lá em cima, batemos-lhe e picamo-lo para que ande sem se demorar ou perder tempo, não nos importando, onde ele possa por os pés e muito menos interessados nos mostramos, em quem nos deu a mão para chegar lá a cima. Preferimos, quase sempre cheirar as flores, do que plantá-las ou ajudá-las a crescer. Preferimos, quase sempre, colher as flores, quando estas se mostram, com todo o seu fulgor, para passarem e enfeitar as nossas salas em vez do quintal dos vizinhos. Onde foram semeadas, regadas, adubadas e ajudadas a crescer. Tal como o mal, também o bem está na nossa natureza, a verdade, é que muitas vezes, eu diria demasiadas vezes, optamos pelo que é mais fácil, envenenamos os outros, mesmo sabendo, que isso vai tornar a natureza das nossas vidas, num verdadeiro inferno…

About these ads

1 Comentário

  1. […] “O Sapo, o Escorpião e a nossa natureza…” Fevereiro, 2008 4 […]


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.