“Graças a Deus…”

Acreditam no destino? Eu não, ou melhor, pode haver qualquer coisa pensada para nós, mas o fundamental somos nós que o realizamos. Ontem estive a ver um Filme sobre a vida de João Paulo II, de quem confesso ter sido e continuar a ser fã, eu e milhões e milhões por todo o Mundo. Estaria ele predestinado? Estaria a vida D`ele escrita logo ao nascer? Teria Deus enviado Aquele Homem, com aquela missão? Eu que nem sequer acredito muito nessas coisas do destino, uma vez que entendo que: “- O meu destino sou eu que o faço. Que o construo dia a dia, com as minhas atitudes e opções”. No caso de João Paulo II, julgo que houve ali mão de Deus, a sua vida foi uma sucessão de acontecimentos prematuros e inesperados, ser ordenado Bispo aos 38 anos, ser eleito Papa aos 58 anos, sempre e em tudo o mais novo da História. Havia um mundo para mudar, havia tensões politicas e religiosas, havia um Deus adormecido um pouco por todo o mundo, havia uma juventude descrente e revoltada com os caminhos escolhidos, quer pelos ideais políticos quer pelo suporte psicológico que está subjacente à religião, e aqui incluas todos, porque quer nasçamos, católicos, judeus, protestastes ou de outra qualquer religião, há um principio que não devemos esquecer: TODOS SOMOS FILHOS DE DEUS  e, João Paulo II fez questão de no–lo dizer e mostrar. Este homem vestido de branco, que considerou ser ele a chave  e o motivo do terceiro segredo de Fátima, não se tornou imortal e eventualmente santo, por ser um filosofo, um grande pensador, mas sim por ser um grande comunicador, um homem cheio de coragem, um homem do terreno. Cada vez mais assistimos a lideres de gabinete, João Paulo II disse-o no primeiro dia, não escolhi esta vida para estar enclausurado, o beneficio da minha actividade é na rua, nas estradas, nos caminhos, é a dar o exemplo, é sem medos dar opinião, mesmo que isso me custe a própria vida, se cá vim foi pra viver, pra desafiar: “-Tu que me ouves já te encontraste?, já decidiste o caminho que queres seguir? Se não nos encontrarmos, jamais encontraremos o caminho que devemos seguir. Já agora diz-me:  já encontraste Deus?” Tantas palavras que já aqui deixei, apenas para dizer que no caso presente, acredito, que  deus nos enviou João Paulo II, não sei se tanto para sermos mais religiosos ou não, mas de certeza para termos uma luz, um guia, um exemplo. Para percebermos que tudo é possível, pode-se nascer o mais humilde dos operários, mas amanhã, podemos ser o melhor lider, o maior dos pensadores, o maior da mais elementar actividade que desempenhemos. A grande diferença está e estará sempre nos que tentaram, nos que arriscaram, nos que não tiveram medo de assumir as suas próprias ideias e as puseram em prática, naqueles que tiveram a coragem de agarrar em todos os instrumentos que deus nos deu e dá e de os utilizar,  para o bem. Que não há maior bem que o do respeito e perdão, PERDÃO, só perdoando, seremos perdoados, ele que viu a sua terra ser oprimida e os seus chacinados, só teve uma resposta, perdoar, sempre perdoar e mostrar o caminho e apontar os erros através das palavras sem medo, ditas no tempo certo e com a intenção certa, sempre: “ – Podem-nos roubar tudo mas, jamais  devemos permitir que nos roubem a alma”. Esta foi a lição que João Paulo II nos deixou, por mais pequeninos e insignificantes que nasçamos se quisermos, nada nos deterá e os grandes feitos, as grandes obras, foram sempre alcançados por aqueles que não tiveram medo,  de apesar da mais negra das noites terem agarrado no facho e arriscaram um caminho, de fé e verdade, a verdade que por mais oprimida, acabará sempre por prevalecer: “ – A guerra traz mais guerra, o ódio traz mais ódio. Aos que nos ferirem com armas, responderemos com o perdão das palavras e não se esqueçam, devemos trancar as portas do estábulo enquanto o cavalo lá estiver dentro, não depois deste já ter saído. Muitas vezes na vida, aparecemos quando há muitos a fazer barulho e escondemo-nos quando basta uma só palavra”. Fecho como comecei, não acredito muito nas coisa do destino, mas acredito que alguns cá vêm para nos ajudar a construir o nosso. Eu dou graças a Deus por me ter dado a possibilidade de ter passado por cá ao mesmo tempo que este predestinado que,  nasceu Karol e morreu João Paulo II.

Anúncios

1 Comentário

  1. Pois é Zé , como já te tinha dito algum tempo atrás,não te esqueças que também tu viste para ajudar os outros, posso testemunhar isso
    Com a tua ajuda: tapaste tectos a pessoas que estavam a dormir quase a ceu aberto,compraste medicamentos a pessoas acamadas que não tem posses para comprar,deste leite,papas e yogurtes a crianças que não tinham,deste oculos para a escola para crianças cujos pais não podiam comprar , enfim um infinito de boas acções,
    PORTANTO ZÉ TAMBEM FOSTE UM ENVIADO DE DEUS E O TEU DESTINO ERA ESSE MESMO.
    Um abraço de amigo Zé Marcelino


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s