“De novo, “O Sal da Vida”, hoje deu-me para aqui…”

“Já não sei onde nem quando, mas um dia dei por mim a pensar na dificuldade de viver e tudo isto apenas por se nascer.

     Quando os nossos pais decidiram, ou não, que iriam ter um filho, não o encomendaram por nenhum catálogo, não escolheram concerteza características, estilo de vida, virtudes ou defeitos. Apenas o conceberam e desejaram que a vida que viesse a ter fosse a melhor. Quer por tudo aquilo que lhes pudessem proporcionar, quer na sorte e saúde ambicionadas para que essa nova vida fosse o mais feliz possível.

     Há quem defenda que – “O sal da vida são os bons e pequenos momentos em que não existem dificuldades em que tudo corre pelo melhor, em que não há problemas e a vida se compara a uma rosa, com uma diferença substancial. Sem espinhos”.

     Eu lamento, mas não concordo nada com esta ideia, muito pelo contrario.

     Para mim “O Sal da Vida” é precisamente o oposto. Rosas sem espinhos? Vida sem dificuldades? Tudo a correr pelo melhor? Lamento mas não. Em absoluto.

     Nós seres humanos somos dotados de uma inteligência incrível, todos sem excepção, é claro que uns trabalhá-la-ão mais, esforçar-se-ão mais. Terão uns eventualmente mais instrumentos ao seu dispor, mais facilidades. Poderão igualmente outros, estar mais próximos do conhecimento, ter pela força de outras vidas, outras oportunidades, mas – “O sal da vida são as dificuldades, são os espinhos das rosas, são os problemas.

     Apenas apreciamos a rosa porque esta tem espinhos, temos que tratá-la com cuidado, temos que cheirá-la a uma certa distancia, temos que perceber onde colocamos as mãos se a queremos acariciar, temos que perceber que toda aquela beleza e perfume só existem naquela planta porque a natureza a dotou daquelas características, para poder ser tudo aquilo que é, se não, não seria uma rosa, seria uma malva ou outra flor qualquer. Poderia ter o mesmo encanto, mas não tinha o mesmo fascínio. Gostamos das rosas porque para além da cor e do cheiro também têm espinhos. Porque para além da beleza também possuem instrumentos de defesa.

     “O Sal da Vida” está com toda a certeza, pelo menos para mim, nas dificuldades, nos problemas, nas tristezas, nos desencantos. Hoje sabemos o que somos e o que valemos, porque aqueles que nos antecederam tiveram a coragem, a força e o arrojo de não se fecharem no choro e na inércia. Porque aqueles que nos antecederam, puseram mãos à obra quando foi preciso vencer doenças, arregaçaram mangas quando foi necessário fazer pontes, barcos carros e tantas coisas mais.

     Como posso saber o que valho e onde posso chegar se a vida apenas se me apresentar como uma orquídea? Apenas vestida de perfume e beleza, sem os espinhos das rosas!

     Não, isso não é viver. É passar por cá sem ter percebido o quanto valemos, do quanto somos capazes.

     Todas as dificuldades são ultrapassáveis, todos os problemas são resolúveis.

     Deus deu-nos tantos problemas e tantas dificuldades, porque igualmente nos deu tantos talentos e capacidades.

     O problema, é que alguns preferem ser malvas, com alguma beleza e algum cheiro. Outros decididamente, preferem ser rosas, com mais beleza e melhor perfume, alcançados com maior luta e obstinação. Com feridas e ferindo, utilizando os espinhos, enfrentando outros espinhos, mas, acima de tudo, percebendo que só são hoje o que são e podem saborear cada momento de prazer, porque o fizeram à custa da vitória sobre as dificuldades.

 

 

    Viver e ser feliz, só é possível e entendível na sua verdadeira acepção, por aqueles que perceberam e viveram todos os problemas e dificuldades, na sua verdadeira acepção…”

3 comentários

  1. Nem mais. Aqueles a quem tudo aparece como se caísse do céu, não têm a mais pequena ideia da vida e dos espinhos (da vida).´São como alguns meninos das grandes cidades cosmopolitas que pensavam que os frangos nasciam sem penas. A vida com sal é mesmo sangue, suor e lágrimas. É verdade que às vezes não era necessário tanto, mas a vida muito sonsa não tem paladar. P.P.

  2. Não podia estar mais de acordo, alcançar um sonho sem batalhar por ele não teria qualquer sabor.
    Tenho na família grandes lutadores, é um privilégio poder aprender com eles…OBRIGADA!

  3. Beijos também para ti! Tudo a correr bem!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s